Connect with us

Noticia Brasil Online

“Vamos construir um SUS juntos”, diz Mandetta, ao tomar posse no ministério da Saúde

BRASIL

“Vamos construir um SUS juntos”, diz Mandetta, ao tomar posse no ministério da Saúde

O novo ministro da Saúde Henrique Mandetta afirmou nesta quarta-feira, 2, que sua gestão terá um compromisso grande com a família, fé e pátria e garantiu que não haverá retrocesso na Saúde. Em seu discurso de transmissão de posse, ele defendeu a necessidade de se garantir a equidade no Sistema Único de Saúde (SUS). “Não tem retrocesso, vamos cumprir a Constituição e é isso que pede o presidente”, disse. Ele salientou não haver “verdades absolutas” abaixo da Constituição e defendeu tratamentos diferentes para desiguais.

Médico ortopedista, Luiz Henrique Mandetta é ex-secretário de Saúde de Campo Grande (MS) e foi por duas vezes deputado federal pelo DEM. No parlamento, foi uma das vozes contrárias à criação do Mais Médicos, programa que agora ele pretende modificar. Na eleição do ano passado, Mandetta não se candidatou à reeleição e colaborou com o programa de governo de Jair Bolsonaro, na área da saúde.

Na semana passada, ao apresentar as prioridades para a pasta que agora chefia, Mandetta afirmou que irá coordenar um “choque de gestão”, com a unificação de compras e revisão de contratos nos seis hospitais federais do Rio.
Ao contrário de antecessores, Mandetta tem uma relação estreita com o Conselho Federal de Medicina. Essa proximidade se solidificou na campanha contrária ao Mais Médicos e ficou patente no discurso de transmissão de cargo nesta quarta.”Medicina não se ensina de atacado, não se aprende de orelhada”, afirmou, numa clara referência à expansão das faculdades.
Na despedida do cargo, o agora ex-ministro Gilberto Occhi fez um discurso afinado com seu sucessor. Disse ser favorável às bandeiras já anunciadas por Mandetta: a reformulação do Mais Médicos, o reforço na atenção básica e a revisão dos hospitais federais.
“Dentro daquilo que eu ouvi você falar nos últimos dias, concordo plenamente com a revisão dos hospitais e institutos federais no Rio de Janeiro, do programa Mais Médicos, com a saúde da Família sendo cada vez mais reforçada, o programa de vacinação e também a gestão da informação do ministério para que a gente possa ser mais eficiente e usar os recursos da melhor maneira possível”.

Com voz embargada, Occhi afirmou ter dado a Mandetta uma imagem de Nossa Senhora de Aparecida e citou como desafios avançar na rotulagem de alimentos e na informatização da saúde.

Fonte Lígia Formenti, O Estado de S.Paulo

Comentários
Click to comment

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mais em BRASIL

Em Alta

Estamos no Twitter

BRASIL

To Top