Connect with us

Noticia Brasil Online

STJ prepara o caminho para tirar Lula da cadeia e petista já tem destino certo

STJ

STJ prepara o caminho para tirar Lula da cadeia e petista já tem destino certo

No dia 20 de março, a Prefeitura de São Bernardo do Campo (SP) concedeu novo alvará ambiental para uma construção parada desde 2017 no sítio Los Fubangos, que pertence à família do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Dentre as muitas histórias quase folclóricas que embalam a fama do local, há agora a possibilidade da retomada da construção de uma casa confortável o suficiente para a qual o político seguiria após deixar a prisão.

A vizinhança está de olho na movimentação. Os moradores sabem descrever a parte do terreno que já pertencia à família de Lula, a porção anexada em 2016 e as propriedades de vizinhos célebres, dentre eles Luiz Marinho — ex-prefeito de São Bernardo. “O Lula, antes de ser presidente, vinha sempre aqui. Tomou café em casa e a gente já foi no sítio dele”, disse Antonio Lemos, um dos vizinhos. Agora a curiosidade está, literalmente, no ar. Os moradores chegaram a subir um drone para espiar as obras. Todos estão felizes. Eles acreditam que os imóveis aumentarão de valor quando a casa de Lula ficar pronta.

O STJ prepara o caminho para tirar Lula da cadeia.

O plano foi delineado por Gilmar Mendes no ano passado: reduzir a pena do chefe da ORCRIM, sobretudo no que se refere à lavagem de dinheiro, e mandá-lo para a prisão domiciliar, imediatamente ou daqui a algumas semanas.

O PT aposta que o STJ vai reduzir a pena de Lula.

Diz a Folha de S. Paulo:

“É forte a expectativa do PT em torno do julgamento do recurso de Lula contra a condenação no caso do tríplex do Guarujá, no STJ, previsto para terça-feira.

Os ministros devem se debruçar principalmente sobre dois temas: a dosimetria da pena e o crime de lavagem de dinheiro. Há tese de que ele está atrelado ao de corrupção, o que impediria dupla condenação. Aliados do ex-presidente apostam em análise técnica que reduza a punição imposta a ele.”

Comentários
Click to comment

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mais em STJ

Em Alta

Estamos no Twitter

BRASIL

To Top