Connect with us

Noticia Brasil Online

Gilmar Mendes suspende pagamento de pessoas que perderam dinheiro no Plano Collor

BRASIL

Gilmar Mendes suspende pagamento de pessoas que perderam dinheiro no Plano Collor

O ministro Gilmar Mendes em despacho monocrático atendeu ao pedido do Banco do Brasil e também da Advocacia Geral da União, suspendendo a execução de sentenças que determinam o reembolso aos poupadores atingidos pelo Plano Color. A decisão causou surpresa porque as sentenças estabelecendo a compensação já tinha transitado em julgado.

Reportagem de Larissa Quintino, edição de ontem da Folha de São Paulo, destaca bem o assunto e seus reflexos. O argumento é que as liquidações dos créditos tenham ultrapassado os limites previstos, sinalizados pela concordância entre as partes.

28 ANOS DEPOIS – A mim parece um equívoco, até porque o Plano Collor foi decretado em 1990, portanto já se passaram 28 anos. Quando finalmente a execução estava próxima, agora foi transferida para uma data ainda a ser fixada. A esperança dos poupadores garfados naquela ocasião fica adiada e na dependência da aceitação ou não do despacho de Gilmar Mendes pelo Plenário do STF.

Os depositantes nas contas de poupança já haviam sido atingidos incrivelmente pelo Plano Bresser Pereira, no governo José Sarney. A perplexidade tomou conta de setores jurídicos do país. Mais uma vez a história se repete. Para os bancos, os julgamentos são rápidos, as execuções também, mas para os assalariados e investidores de pequenas quantias os prazos atravessam décadas.

JUSTIÇA LENTA – É por essas e outras que a Justiça custa a reconhecer direitos inegáveis, e por diversas vezes o processo lento, como assinala o juiz Sérgio Moro, equivale a prejuízos crescentes que se chocam com as razões legítimas de seus recursos.

É por essas e outras também que a Justiça de modo geral encontra-se naufragada num mar de processos. Os bancos ganharam muito dinheiro com os Planos Collor e Bresser, porque aplicaram nas suas próprias operações os montantes financeiros que lhes caíram no colo e geraram lucros enormes. Na hora de devolver os prejuízos, estão esperando há quase trinta anos.

Comentários
Click to comment

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mais em BRASIL

Em Alta

Estamos no Twitter

BRASIL

To Top