Folha ataca Deltan usando mensagens do IntercePT

Em supostas mensagens obtidas pela Folha de São Paulo” em parceria com o ‘Intercept’, o procurador fala com colegas da força-tarefa da Lava Jato sobre a criação de uma empresa de eventos e palestras. A ideia, segundo o jornal, seria ‘lucrar com a fama e contatos obtidos durante as investigações do caso de corrupção’. A lei, no entanto, proíbe que procuradores gerenciem empresas, permitindo apenas que sejam sócios ou acionistas, de acordo com a ‘Folha’. Deltan e outro procurador citado nos diálogos, Roberson Pozzobon, informam que não abriram e não gerenciam empresa. Em nota, a Procuradoria no Paraná declara que os integrantes da força-tarefa da Lava Jato ‘não reconhecem as mensagens que têm sido atribuídas a eles’ e que ‘esse material é oriundo de crime cibernético e não pôde ter seu contexto e veracidade comprovado’.

Este site utiliza cookies