Connect with us

Noticia Brasil Online

Entidades do Sistema “S” não querem que suas contas sejam mostradas para todos

BRASIL

Entidades do Sistema “S” não querem que suas contas sejam mostradas para todos

Um decreto publicado na sexta-feira (10/05) submete as entidades do sistema S às mesmas regras de transparência que são impostas ao setor público pela LAI (Lei de Acesso à Informação). Isso significa, entre outras coisas, que dados como salários e custos deverão ser apresentados à sociedade de maneira ativa, nos sites das entidades, sem a necessidade de serem solicitadas. As entidades avaliam recorrer à Justiça contra o decreto, pois o consideram inconstitucional.

De acordo com a Folha de São Paulo, o decreto foi redigido por orientação dos ministros Paulo Guedes (Economia), que em outra ocasião já afirmou ser necessário “meter a faca” no sistema S, e Wagner de Campos Rosário (Controladoria-Geral da União). O sistema S recebeu R$ 17,1 bilhões da Receita Federal em 2018 para o financiamento de suas atividades e há um debate se estes recursos são públicos ou privados.

Auxiliares próximos ao presidente acreditam que a abertura dos dados poderá revelar que algumas entidades pagam salários muito elevados. As regras de transparência também permitirão que sejam rastreados casos de nepotismo e que haja maior fiscalização sobre os editais lançados. O decreto entra em vigor em 90 dias.

O sistema S é composto por nove entidades: Sesi, Senai, Sesc, Senac, Sebrae, Senar, Sescoop, Sest e Senat. À Folha de São Paulo, Senai e Sesi, por meio da CNI (Confederação Nacional da Indústria), afirmaram que as novas regras são inconstitucionais. Além disso, as entidades alegam que já prestam contas, expõem seus dados e cumprem boa parte das regras previstas no decreto.

as informações são do movimento avança Brasil

Comentários
Click to comment

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mais em BRASIL

Em Alta

Estamos no Twitter

BRASIL

To Top