Connect with us

Noticia Brasil Online

Comissão do Senado votará projeto para coibir uso de aviões da FAB

POLITICA

Comissão do Senado votará projeto para coibir uso de aviões da FAB

A Comissão de Relações Exteriores do Senado pretende votar, nesta quinta-feira, dia 6, um projeto para endurecer as regras de uso dos voos da Força Aérea Brasileira (FAB) por autoridades. A proposta foi incluída na pauta após a demissão do secretário-executivo da Casa Civil, Vicente Santini, que utilizou uma aeronave oficial para se deslocar até a Davos, na Suíça e, de lá, para Nova Délhi, na Índia.

A proposta aumenta as exigências de divulgação das informações dos voos. O projeto determina que a autoridades usem as aeronaves apenas para viagens a serviço e, “excepcionalmente”, por motivo de segurança e emergência médica. Atualmente, presidentes dos Poderes e comandantes das Forças Armadas podem usar os aviões para viajar ao local de residência.

CONDICIONAMENTO – As pessoas autorizadas a pedir uma aeronave da FAB continuariam as mesmas: presidente e vice-presidente da República, ministros de Estados e quem ocupa o cargo como prerrogativas de ministro, comandantes das Forças Armadas e presidentes do Supremo Tribunal Federal (STF), do Senado e da Câmara. Outras autoridades ficariam condicionadas a autorização do ministro da Defesa.

No caso de Santini, como ele estava no exercício do cargo de ministro quando solicitou o avião oficial, o projeto não o proibiria de voar de FAB, porém, teria que dar mais justificativas para o pedido. Como o Estado antecipou, o presidente Jair Bolsonaro determinou a revisão nas regras após o caso do agora ex-assessor da Casa Civil.

NA PAUTA – O projeto foi apresentado pelo senador Lasier Martins (Podemos-RS) em 2015. Em julho do ano passado recebeu parecer pela aprovação na comissão, mas não chegou a ser votado. Agora, o presidente do colegiado, Nelsinho Trad (PSD-MS), decidiu inclui-lo na lista de votações da reunião de quinta-feira. Depois disso, ainda precisará passar pela Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado e pela Câmara.

De acordo com senadores ouvidos pela reportagem, a ideia já era votar o projeto na retomada dos trabalhos legislativos. O caso de Santini, porém, aumentou a pressão por mais transparência nos deslocamentos dos aviões da FAB.

RELATÓRIO –  De acordo o projeto,  o governo deverá divulgar um relatório dos voos oficiais e enviar as informações ao Tribunal de Contas da União (TCU). A medida também aumenta a quantidade de informações que deve ser enviada previamente: finalidade, passageiros, carga transportada, percurso, autorizador da missão, tripulação e permanência prevista em cada localidade.

Atualmente, o decreto existente exige apenas informações prévias sobre a situação da viagem e a quantidade de pessoas que eventualmente as acompanharão. A proposta do senador determina que um regulamento futuro deverá estabelecer os critérios sobre os acompanhantes nas viagens. A carona, no entanto, somente poderá ser dada a cônjuge ou companheiro e pessoa a serviço da missão.

Comentários
Click to comment

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mais em POLITICA

Em Alta

Estamos no Twitter

BRASIL

To Top