ENTRETENIMENTO

Confira tudo sobre entretenimento, seus programas, seriados, filmes e novelas favoritas. Alem de ficar por dentro da vida dos famosos..

Monica Iozzi ironiza Sérgio Moro e é detonada nas redes sociais por internautas

A atriz e apresentadora Monica Iozzi demonstrou-se contrária a decisão do juiz federal Sergio Moro de chefiar os Ministérios da Justiça e da Segurança Pública . Segundo a atriz, Moro se mostrou uma pessoa política ao aceitar o convite.

Em sua conta no Instagram, Iozzi postou uma notícia do ano de 2016, do jornal O Estado de São Paulo, onde Moro teria dito que jamais entraria para a política. A atriz acabou sendo alvo de indignação de internautas e seguidores que contestaram a publicação dela. “Você caiu largamente no meu conceito”, afirmou uma internauta.
Um dos seguidores escreveu que da mesma forma que Moro decidiu mudar de ideia e entrar na política , Lula também mudou, pois havia prometido um Brasil livre da pobreza e acabou, de acordo com o internauta, roubando os cofres públicos. Outras pessoas questionaram se a atriz nunca decidiu mudar a vida dela. “Estamos sempre em evolução”, disse outro

Uma seguidora comentou que não entende porque que as pessoas torcem pelo contrário ao invés de acreditarem num Brasil melhor. “Que tristeza você falar uma coisa dessas”, disse. Outro seguidor da atriz falou que se surpreende ao ver que as pessoas torcem para que tudo dê errado.

Em contrapartida, alguns seguidores defenderam o posicionamento da atriz: “Ele nunca foi juiz, sempre foi político da extrema-direita”, escreveu. Outra internauta provocou: “Estou sentindo um cheirinho de troca de favores, e vocês?”.

Amigo espancado
Recentemente, a atriz postou um desabafo dizendo que estava indignada com a agressão que um amigo havia sofrido por, segundo ela, ser alvo de homofobia. Afirmou que o amigo estava todo machucado com várias fraturas e que deveria passar por cirurgia.

Conforme Monica, o agressor disse que era apoiador de Jair Bolsonaro. A artista repudiou uma declaração do presidente eleito que dizia que essa violência não tinha nada a ver com ele. Contudo, na opinião da atriz, os discursos de Bolsonaro levam as pessoas a cometerem as agressões.

Votação
No primeiro turno das eleições, a atriz afirmou que votou em Ciro Gomes (PDT) e que no segundo turno a opção dela era Fernando Haddad (PT).

Iozzi disse que nunca concordou com a forma como Jair Bolsonaro prega a violência e se diz contrária a algumas declarações dele que supostamente ferem a comunidade LGBT.

Bolsonaro, em entrevistas, já disse que não é homofóbico e que muitas declarações dele foram conturbadas pela imprensa.

FÃ DETONA AO CHAMAR D2 DE ”BABACA” E ”RACISTA” E VÍDEO VIRALIZOU NA INTERNET

  • nov 3, 2018

Um fã indgnado com a injuria racial promovida por Marcelo D2, quebrou CD’s do cantor e o chamou de ”Babaca” e “Racista” o vídeo se tornou viral na internet

Marcelo D2 questionou a amizade entre o deputado federal eleito Hélio Negão e o presidente Jair Bolsonaro.
Crítico ferrenho de Bolsonaro, o músico Marcelo D2 utilizou seu perfil oficial no Twitter nesta quarta-feira (31) para atacar um amigo negro do presidente eleito.

“E o negão do Bolsonaro hein? Talvez seja essa a nova nomenclatura pro escravo da casa grande. Bater palma pro patrão, no caso aqui lamber o coturno do capetão”, disse D2 em um comentário claramente racista.

 

 

Após o episodio o Dep. Federal eleito pelo Rj  Helio Negão gravou vídeo em resposta a D2:

Maricy Vogel, Astróloga mais famosa do mundo previu: “Moro em ascensão, Lula mofando na cadeia e Trump reeleito”

Em outubro de 2016, Maricy Vogel, uma das astrólogas mais conhecidas em todo o mundo, foi entrevistada por Amaury Junior.

A brasileira, que reside em Miami, fez algumas previsões envolvendo a política brasileira para o ano de 2017:

Março de 2018 – Bolsonaro presidente

A astróloga voltou a ser entrevistada por Amaury Junior e o apresentador foi direto ao ponto:

“Quem é que você viu que será o próximo presidente do Brasil?”

Maricy Vogel respondeu:

“Eu leio o mapa astral de todos os candidatos e devido ao que está acontecendo no céu (se referindo aos astros), Saturno entrará em Capricórnio e isso significa CONSERVADORISMO …  direita, valores, família, tradição e quem vai levar a presidência chama-se Jair Bolsonaro”

Ela também fez questão de ressaltar que não tem ligação com políticos:

“Não sou paga por nenhum político, eu sou apolítica e não faço nenhum trabalho para ninguém …”

Novembro de 2018

Maricy retornou ao programa de Amaury Junior (há cerca de 10 dias) e fez novas revelações. Anotem aí:

► Vários políticos que perderam a imunidade parlamentar (foro privilegiado) irão para Curitiba.

► Sérgio Moro pegará o retorno de ‘Júpiter’ e se elevará em 2019.

Lula continuará preso, terá mais penas e continuará na cadeia por muito tempo.

 Donald Trump será reeleito em 2020

► Falta pouco para a Venezuela iniciar uma nova fase e Maduro sair do poder

► Três ministros do STF serão trocados em 2019

► Sérgio Moro será indicado para um cargo de alto escalão e aceitará a proposta

► 2019 será regido por leis, ética, moral, bons costumes e juízes

Fernanda Montenegro sobre Bolsonaro: ‘Ele não está lá por um milagre, os brasileiros votaram mais nele’

  • out 31, 2018

A atriz Fernanda Montenegro, de 89 anos, que foi ameaçada de morte durante a ditadura militar, falou ao UOL pela primeira vez sobre Jair Bolsonaro, eleito presidente do Brasil em segundo turno no último domingo (28).

“Eu não posso falar sobre o futuro. Eu posso falar sobre o presente. Ele não está lá por um milagre. Os brasileiros votaram mais nele do que no outro candidato. A pergunta é: corresponderá este homem a este voto de credibilidade que a maioria deu a ele?”, disse a atriz ao UOL.

 

Para Fernanda, quem votou no candidato do PSL não quer exatamente a volta do autoritarismo, mas, sim, que a sociedade melhore.

“Não acredito que quem deu um voto a ele exija que ele vire um fascista enlouquecido, porque se isso acontecer, haverá uma reação. Senão estaríamos em um regime militar até hoje. Demorou muito para acabar [a ditadura], mas acabou.”

“Eu não quero falar de Bolsonaro, eu quero falar sobre este voto de credibilidade para que todo um atendimento social exista. Que a saúde exista, o saneamento básico, a creche, os empregos existam. [Ele] Está chegando ao poder porque existem milhões de desempregados”, afirmou.

Fernanda continuou: “Eu sei que, se não houver uma correspondência, uma harmonia e um atendimento nas necessidades sociais, [a credibilidade] pode parar no meio do caminho.”

Cantora Cher perde a linha, chama Bolsonaro de porco e diz que ele deveria ser preso

  • out 30, 2018

Estima-se que em as eleições presidenciais no Brasil em 2018, nunca repercutiram tanto no exterior como neste ano. Um fato que chama a atenção está ligado aos artistas internacionais se manifestarem em público a respeito dos candidatos que concorrem ao pleito. A cantora americana Cher postou em sua conta no Twitter, um comentário contra o candidato Jair Bolsonaro (PSL). No post, a cantora referiu-se a Bolsonaro como um porco que deveria estar preso pelo resto da vida.

Segundo informações da imprensa norte americana, Cher também é crítica ferrenha do governo de Donald Trump. Em defesa a Bolsonaro , alguns simpatizantes do pesselista postaram um boné com a seguinte frase “Make Brazil Great Again” (“Faça o Brasil Grande de Novo”), a frase teria sido usada por Trump durante as Eleições presidenciais nos Estados Unidos.

Vale ressaltar que essa não é a primeira vez que Cher critica o candidato do PSL, em setembro, ela postou uma mensagem no Twitter e comparou Bolsonaro a Trump, referindo-se a ele, como machista, homofóbico e racista. Ela também defendeu que significaria muito para que todos os brasileiros pudessem compartilhar a hashtag ”Ele não”.

Outra artista internacional que se mostrou preocupada com a situação política do Brasil foi a cantora Madonna, que também aproveitou a oportunidade para declarar sua opinião contrária ao candidato do PSL. Em seu perfil no Instagram Stories, Madonna teria compartilhado uma postagem na qual aparece uma pessoa com a boca vendada, com a frase freedom (liberdade em inglês).

A cantora britânica também compartilhou uma postagem no qual pedia o fim do fascismo no Brasil.

Além disso, Madonna também compartilhou a hashtag ”Ele não”.

Manifestação de Roger Waters
Com um show marcado para o dia 27, em Curitiba-PR, na véspera das eleições, o cantor de rock Roger Waters foi orientado pela sua assessoria de que ele não poderia fazer nenhum tipo de manifestação política durante a sua apresentação Mesmo assim, como seu show começou antes das 22h00, horário permitido as manifestações políticas, o cantor usou o artifício e postou no telão para publicar frases contrárias ao fascismo e apoiar o movimento ”Ele Não”. No fim do show, foi postada a frase dizendo que essa é a última chance que os brasileiros têm em resistir ao fascismo.

A estratégia já havia sido utilizada dias antes em sua turnê pelas cidades do Rio de Janeiro e São Paulo, onde Waters também aproveitou a ocasião para se manifestar contrário a Bolsonaro.

‘Dória não devia medir os outros pela sua régua’, afirma Marcio França sobre suposto vídeo de Doria

  • out 23, 2018

O candidato do PSB ao governo de São Paulo, Marcio França, repudiou na tarde desta terça-feira a acusação de que o vazamento do vídeo íntimo que supostamente seria de João Dória com cinco mulheres tenha partido da campanha dele. França utilizou as redes sociais para comentar o caso e dizer que a divulgação desse tipo de vídeo é “violência”, assim como a acusação feita por Doria.

“É lamentável que Dória nos faça essa acusação que chega a ser quase tão grave quanto #a violência de que ele é vítima. Repudiamos tanto a declaração do candidato, quanto a divulgação desse tipo vídeo. SP não merece esse constrangimento. Dória não deve medir os outros pela sua régua”, postou.

Em nota à imprensa, a assessoria de Márcio França ainda afirma que é contrário a divulgação de fake news e ataques a figura do candidato. “A denúncia é tão grave quanto a violência da qual João Doria é vítima. Márcio França repudia esse tipo de campanha, as fake news, as montagens e as falsificações e, acima de tudo, qualquer tipo de ataque pessoal a quem quer que seja”.

Nas imagens que circulam pela internet desde o começo da tarde de hoje, um homem que aparenta ser o candidato do PSDB aparece em uma orgia com cinco mulheres. Logo que caiu na rede o conteúdo do vídeo se tornou o assunto mais comentado do Twitter.

A equipe de campanha de Doria afirmou que é falso o vídeo. A assessoria ainda afirma que se trata de montagem e que o conteúdo tem a intenção de prejudicar o tucano às vésperas da data da eleição em segundo turno.

A disputa em São Paulo segue acirrada, segundo demonstram as pesquisas mais recentes. No levantamento feito pelo Ibope, Doria tem 52% dos votos válidos – quando são excluídos os brancos, nulos e indecisos – e Márcio França, 48%. A margem de erro é de três pontos porcentuais. É a primeira pesquisa Ibope para o governo de São Paulo neste segundo turno das eleições 2018.

Internet não perdoa e milhares de memes surgem apos vazamento de “suposto” vídeo intimo de Doria

  • out 23, 2018

O candidato ao governo de São Paulo apareceu a pouco ao lado de sua esposa no twitter, negando que seja ele no vídeo com 5 garotas, horas antes  a assessoria de Dória afirmou que tudo não passa de uma armação da oposição.

Apesar de Dória negar que seja ele no vídeo vazado na web, os internautas não perdoam e os memes são implacáveis:

Ela teve câncer no início da gravidez, disse não ao aborto e salvou as duas vidas

  • out 17, 2018

Curitibana Ana Beatriz foi diagnosticada no 2º mês de gestação da pequena Louise; apesar da recomendação para abortar, ela escolheu a vida

Há alguns meses, a bancária curitibana Ana Beatriz Frecceiro Schmidt, de 32 anos, foi colocada diante de um dos maiores dilemas que uma mulher pode viver. Sua decisão, foi a mais corajosa possível. Ela foi diagnosticada com um câncer de mama quando estava grávida de dois meses e ouviu do médico a recomendação para abortar o bebê. Ela recusou, optou por se submeter ao tratamento mesmo correndo riscos, mas hoje pode segurar sua filha nos braços.

Bia, como é conhecida, já tinha um filho de 11 anos, chamado Matheus, outro com 1 ano e 10 meses, o Daniel, e, agora, é mãe também da pequena Louise, com seis meses de vida. Ela conta que sempre quis ser mãe de menina e quando Daniel tinha apenas sete meses soube que estava grávida pela terceira vez. Depois do susto inicial, ela teve a certeza de que agora sua menininha estava vindo. “Junto com a Louise, Deus mandou força para o que viria”, conta ela em um vídeo na internet.

O câncer gestacional foi identificado quando Daniel tinha apenas nove meses e parou de mamar repentinamente. “Fiquei preocupada, apalpei o seio para ver se havia leite empedrado e senti uma bolinha”, diz. No dia seguinte ela fez uma ecografia do seio e mais tarde uma biopsia que confirmou a doença.

O médico de Bia ao saber do diagnóstico e do tempo de gestação, sugeriu então que ela abortasse para evitar problemas futuros. Isso porque o tipo de tumor era hormonal e seria agravado durante a gravidez, já que durante a gestação o corpo da mulher produz muito mais hormônios. “Se eu não estivesse grávida, não teria descoberto a tempo e quando percebesse já estaria em metástase”, diz Bia.

Histórico

A reação de Bia diante da sugestão de seu médico foi a de negar o aborto. “Eu acredito na vida e no amor. Jamais ia sacrificar ela para me salvar”, conta. “Eu não tinha direito algum de fazer isso. Ou a gente viveria junto ou morreria junto. Eu lutei por nós duas e sobrevivemos”, completa.

Bia conta que sua avó materna teve câncer aos 36 anos e faleceu vítima da doença aos 39. Por conta desse histórico, aos 20 anos, quando engravidou de Matheus, ela passou a fazer ecografia das mamas com regularidade. Em 2014, ainda preocupada, ela pediu para fazer um mapeamento genético para ver se tinha possibilidade de um câncer no futuro, mas não foi atendida por seu médico. “Se tivesse feito esse exame lá atrás eu saberia antes da probabilidade do câncer de mama e também de ovário”, diz.

No entanto, hoje, ela considera que tudo pode ter sido providência divina. “Naquela época eu teria retirado as mamas, mas também os ovários. Se fosse assim, eu não teria mais dois filhos”, explica.

Tratamento

Como entrou em desacordo com seu antigo médico, ela foi atrás de outro e conheceu alguém que apoiasse em sua decisão. Em 15 de agosto de 2017, Bia fez uma mastectomia, mas por conta da gravidez, o pós-operatório foi um período difícil. Ela não podia tomar antibióticos e nem anti-inflamatórios. “Tirei completamente a mama, os músculos, nervos e esvaziei axila. Não tomei remédios fortes, mas estava consciente disso”, relata.

As sessões de quimioterapia foram surpreendentes por não lhe darem enjoos comuns às pessoas nessa situação. Ela conta que lhe deram apenas mais força. “Eu sabia que lutava por nós duas e que precisava ficar bem para a quimioterapia não afetar minha bebê”, diz. Ela afirma que o sustento para esse período de tratamento veio principalmente da fé. Cristã, toda vez que se sentia fraca, era na oração que buscava forças. “Tenho grande fé em Deus e sei que minha vida e a da Louise têm um propósito”, pondera.

Hoje Louise tem seis meses de vida e uma saúde impecável. Bia tem 32 e está curada do câncer. No mês passado o cabelo que havia caído durante o tratamento voltou a crescer. A última sessão de quimioterapia foi feita no mês passado e agora ela começou a hormonioterapia para impedir que o corpo dela produza hormônios que podem desencadear uma nova doença. “Eu tive câncer, mas ele nunca teve a mim”, comemora.

___________

Publicado por Sempre Família In pt.aleteia.org

Menino de 4 anos morre nos braços da mãe – e internet resolve atacá-la

  • out 16, 2018

menino australiano Alby Davis morreu asfixiado com uma bolinha de borracha em março deste ano, poucas horas antes de completar 4 anos de idade.

O pequeno estava em seu quarto junto com a mãe, Anna Davis, quando pôs na boca a bolinha saltitante que tinha ganhado entre vários outros presentes de aniversário. Ele engasgou.

Socorrendo imediatamente o filho, Anna tentou retirar o brinquedo da sua garganta, lhe aplicou massagem cardíaca e acionou o serviço de emergência. Mas, tragicamente, Alby morreu, nos braços da mãe, antes que os paramédicos pudessem chegar.

Anna estava grávida do seu quarto filho quando Alby morreu.

Ela e o marido tiveram de lidar, ao mesmo tempo, com o sofrimento inimaginável de perder um filho prestes a completar 4 anos de vida e com o júbilo indescritível de acolherem mais um bebê profundamente amado e esperado.

No momento da sua história em que mais precisaram de apoio, empatia e solidariedade, o que eles receberam de centenas de estranhos, porém, foi ainda mais dor, desconcerto, sofrimento.

perfil de Anna no Instagram (The Small Folk), usado para compartilhar preciosas imagens da família, começou a receber comentários covardemente ofensivos e até mesmo ameaças de pessoas que decidiram culpá-la pela morte do filho de 4 anos.

Um dos comentários “sugeriu”:

“O seu próximo filho deveria se chamar ‘Choking’”.

Choking significa “sufocamento”, em inglês.

Como se não bastasse a dilaceração de ter perdido o pequeno Alby em seus próprios braços, Anna teve de lidar com a agressividade doentia dos estranhos da internet.

Ela decidiu começar a mostrar a todos as barbaridades de que é vítima até hoje, divulgando-as na mesma rede social em que as recebe. Mas não desistiu de continuar compartilhando também as imagens ternas e belas dos seus outros filhos, do marido, da família que segue junta, enfrentando a dor – incluindo a dor desnecessária infligida pela insensibilidade criminosa de pessoas enfermas.

Posicionamento de Anitta contra Bolsonaro já prejudica carreira da cantora, diz site

  • out 6, 2018

De acordo com informações do site TV Foco, a cantora Anitta vem enfrentando o que muitos artistas temem após se posicionar contra o candidato Jair Bolsonaro (PSL). Após postar um vídeo no qual afirma que não votaria em candidato racista e se manifestar contra Jair Bolsonaro, Anitta vem recebendo críticas tanto por parte de Celebridades favoráveis à candidatura de Bolsonaro quanto de outros eleitores do presidenciável. O episódio estaria repercutindo de forma negativa na carreira da artista. De acordo com informações do colunista Ricardo Feltrin, do UOL, Anitta vem recebendo inúmeros descurtidas e xigamentos em seus vídeos no YouTube.

Ainda de acordo com informações do TV Foco, algumas empresas que usam a imagem da cantora em comerciais de TV também têm recebido ataques de simpatizantes de Bolsonaro. Estima-se que os simpatizantes de Bolsonaro estão mobilizando uma forte estratégia para detonar a imagem da funkeira. Nos últimos dez dias a cantora teve inúmeros conteúdos com sua imagem prejudicados tanto no YouTube quanto nas demais redes sociais.

Além disso, a cantora vem recebendo ameaças pelas redes sociais. Alguns comentários ameaçadores que foram postados na página do Instagram de Anitta já foram desativados. Os clipes da cantora, desde os mais antigos até os mais recentes, já receberam mais de 60 mil negativações em apenas uma semana.

Anitta
Em ato de apoio a funkeira, a cantora Daniela Mercury cobrou um posicionamento de Anitta em relação ao episódio.

Em sua página do Instagram Daniela convidou Anitta para que ela compareça às ruas em manifestações contra Bolsonaro.

”Vamos Anitta”, disse Daniela Mercury, que também está a favor do movimento ”Ele Não” que aconteceu no dia 29 de setembro em todo Brasil. Ainda de acordo com as publicações de Mercury ela chamou Jair Bolsonaro de homofóbico e machista.

Diante da inúmera pressão que vem recebendo, Anitta decidiu que continuará contrária à candidatura de Bolsonaro. Em uma publicação no Instagram a cantora disse que não é a favor do candidato do PSL e cobrou um posicionamento das cantoras Ivete Sangalo, Cláudia Leitte e Preta Gil.

Vale ressaltar que antes do convite de Mercury, Anitta havia recebido um pedido por parte dos fãs para que ela posicionasse contra Bolsonaro. O pedido foi realizado durante um show da cantora na última sexta feira (21). Na ocasião a funkeira disse que não precisa aderir a um movimento para que sua opinião sobre assuntos polêmicos fique evidente .

”Assim como vocês eu também sou humana e preciso fazer escolhas difíceis em minha carreira”, explicou Anitta.

Brasil espera bater recorde de doação de órgãos em 2018

  • set 28, 2018

O Ministério da Saúde espera atingir, até o final do ano, o maior número de doação de órgãos desde 2014. Entre janeiro e junho deste ano a pasta registrou crescimento de 7%, em relação ao ano passado, no número de doadores efetivos de órgãos – aqueles que iniciaram a cirurgia para a retirada de órgãos com a finalidade de transplante.

O número de doadores no primeiro semestres passou de 1.653 em 2017 para para 1.765 em 2018 e a expectativa é chegar a 3.530 até o final do ano. O Ministério da Saúde estima que vai alcançar recorde nos transplantes de fígado (2.222), pulmão (130), coração (382) e medula óssea (2.684), até o final de 2018.

Entre os órgãos que tem mais demanda do que oferta para doação, o pulmão é o que apresenta maior defasagem, segundo o presidente da Associação Brasileira de Transplante de Orgãos (ABTO), Paulo Pêgo Fernandes. A demanda potencial desse órgão para atender uma população de 210 milhões de pessoas seria de 1,6 mil doações. “A maior defasagem teórica entre o número de transplantes realizados e o número de transplantes necessários é o de pulmão, é o que necessitaria aumentar mais a oferta. O transplante de pulmão exige mais atenção, poucos estados fazem. É um órgão que exige mais cuidado e tratamento mais adequado do doador”, explica Fernandes.

A expectativa do Ministério da Saúde é realizar 24,6 mil transplantes até o final do ano, sendo 8.690 de órgãos sólidos (coração, fígado, pâncreas, pulmão, rim e pâncreas) – maior número dos últimos oito anos. Os transplantes de córnea apontam redução em 2018 em razão da redução da lista de espera em alguns estados. Amazonas, Ceará, Goiás, Pernambuco e Paraná são considerados em situação de lista zerada com relação ao transporte de córnea.

Rio de Janeiro – O Instituto Nacional de Câncer José Alencar Gomes da Silva inaugura ala com quatro novos leitos, no Centro de Transplante de Medula Óssea (Tânia Rêgo/Agência Brasil)
Centro de Transplante de Medula Óssea do Instituto Nacional de Câncer, no Rio de Janeiro – Tânia Rêgo/Agência Brasil
Lista de Espera
A lista de espera registrou queda de 6% em relação ao mesmo período ano passado passando de 44.005 parar 41.266 o número de pessoas que aguardam por uma doação de órgãos no país. Apesar da diminuição em relação ao ano anterior, a lista ainda está acima dos patamares atingidos em 2016 (41.052 ) e 2015 (41.236).

“Houve um aumento de casos da lista de 2017 e uma redução em 2018, estabilizando se você considerar os últimos anos. Precisamos priorizar as campanhas, conscientizar a população e fazer essa relação direta com as famílias para que a gente possa aumentar tanto o número de doadores quanto o de transplantes para reduzir efetivamente os números”, afirmou o ministro da Saúde interino, Adeílson Cavalcante.

Para o presidente da ABTO as campanhas ajudam, mas tem limitações. Ele aponta como medidas efetivas para aumentar o número de doações de órgãos o treinamento de equipes multidisciplinares de saúde com relação ao diagnóstico de morte encefálica e a criação de centros regionais de transplante.

“Você tem quem treinar pessoas a nível de Brasil inteiro no sentido dessa questão: de fazer diagnóstico e de saber como conversar, explicar essa situação para os familiares. Outra questão são os centros regionais de transplante, porque o fato de o país ser muito grande, dependendo do órgão você não consegue transportá-lo do Norte para o Sul a tempo, ficaria muito tempo fora do corpo e, com isso, inviável para utilização”, afirma Fernandes.

O Ministério da Saúde informou que repassa recursos para estados e municípios qualificarem profissionais de saúde envolvidos nos processos de doação de órgãos e tecidos. O orçamento federal para esta área é de R$ 1 bilhão. A pasta diz que vai ofertar 74 oficinas de capacitação para 4 mil médicos até 2020 em atendimento à nova resolução do Conselho Federal de Medicina (CFM) para o diagnóstico da morte encefálica.

Estrutura de atendimento
O Sistema Único de Saúde (SUS) é o maior sistema público de transplante do mundo sendo responsável por cerca de 96% dos transplantes realizados no país. O Sistema Nacional de Transplantes é formado pelas 27 Centrais Estaduais de Transplantes; 13 Câmaras Técnicas Nacionais; 504 estabelecimentos e 851 serviços habilitados; 1.157 equipes de transplantes; 574 Comissões Intra-hospitalares de Doações e Transplantes; e 72 Organizações de Procura de Órgãos (OPOs).

Transporte
As companhias de aviação civil transportaram, entre junho de 2016 até junho deste ano, a partir do termo de cooperação firmado com o Ministério da Saúde, 9.236 órgãos sólidos (coração, fígado, pâncreas, rim e pulmão) e tecidos. Em relação ao primeiro semestre deste ano, houve crescimento de 6% em comparação ao primeiro semestre de 2017, passando de 2.327 itens transportados, entre órgãos, tecidos e equipes para 2.474. Já a FAB transportou entre junho de 2016, quando saiu o Decreto Presidencial nº 8.783, de junho de 2016, até junho deste ano, 513 órgãos sólidos (coração, fígado, pâncreas, rim e pulmão) e tecidos.

*Colaborou Débora Brito

Temer diz que indústria do petróleo está voltando a acreditar no país

  • set 28, 2018

O presidente Michel Temer disse que as reformas feitas na economia do país estão trazendo segurança para que o investidor volte a investir e ter lucros. Um sinal disso, apontou, foi a presença marcante, depois de anos de ausência, de investidores de mais de 30 países no Rio Oil & Gas 2018, que terminou hoje (27) no RioCentro, zona oeste da cidade, após três dias de debates e de exposição.

“As pessoas voltaram, e este retorno nós o recebemos com muita alegria. De volta neste momento, convenhamos, de fundado otimismo. A presença de cada um dos senhores e senhoras mostra que acreditam no Brasil que estamos construindo”, afirmou, ao participar do encerramento do encontro.

O presidente Michel Temer discursa na cerimônia de encerramento da Rio Oil and Gas 2018, no Riocentro, em Jacarepaguá.
O presidente Michel Temer discursa no encerramento da Rio Oil & Gas 2018 – Fernando Frazão/Agência Brasil

Temer destacou que, nas viagens que faz por vários países, nota uma avaliação que não costuma ver dentro do Brasil. Segundo ele, há um caso permanente de pessimismo interno, que não verifica fora do Brasil. “Nas várias reuniões que frequento, e não foram poucas, neste período, verifico um otimismo extraordinário daqueles que veem esse novo Brasil, ou seja, o Brasil do século 21. Não podemos permitir que ninguém que venha à frente faça o nosso país retornar ao século 20. Temos que continuar no século 21, e nesse sentido o setor de óleo e gás é fundamental nesta trilha do progresso e do desenvolvimento”, afirmou.

O presidente fez questão de destacar que foi o atual ministro de Minas e Energia, Moreira Franco, que o convenceu, na época em que ainda era vice-presidente, a fazer contato com representantes da indústria de óleo e gás para conhecer as dificuldades do setor.

Naquele momento, segundo Temer, foram identificadas algumas medidas necessárias que foram adotadas pelo governo após ele assumir a presidência. “Nossa indústria de petróleo e gás recobrou o fôlego, percorreu uma jornada de recuperação como mencionei nos primeiros dias do nosso governo. Nós, ao assumirmos, encontramos uma crise bastante substanciosa”, disse.

Perseverança

O ministro de Minas e Energia, Moreira Franco, que também estava no encerramento do Rio Oil & Gas 2018, revelou que as mudanças no setor passaram por intensas negociações com a Câmara e o Senado e que o governo não perdeu o sentido da perseverança. “Nós podemos dizer que o setor de óleo e gás voltou. Podemos dizer que o Brasil voltou porque conseguiu cumprir o dever de casa com uma política correta”, disse.

Para Moreira Franco, a definição de um calendário de rodadas da Agência Nacional de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP), a garantia da manutenção da concorrência e das informações disseminadas igualmente entre os investidores estão entre as medidas que ajudaram na recuperação do setor. “Reafirmo a confiança no setor e na nossa capacidade de negociação”, completou.

Novo governo receberá BNDES ágil e com recursos em caixa, diz Oliveira

  • set 28, 2018

O próximo presidente da República receberá o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) mais ágil e adequado às características atuais da economia. Segundo o presidente do banco, Dyogo Oliveira, a instituição vem passando por mudanças internas que ficarão como legado positivo ao novo governo.

“O BNDES estará, ao final deste ano, preparado para conviver com a nova realidade da economia brasileira. Uma economia que tem juros baixos e que está retomando o investimento. O BNDES está se preparando, inclusive internamente, com mudanças de processos, agilização das linhas de crédito, criação de vários novos produtos, mais adequados para cada tipo de empresa. Esse é o BNDES que será deixado de legado para o próximo presidente, com capacidade financeira, com recursos em caixa, com capacidade de emprestar e agilidade para fazer as suas operações”, disse Dyogo.

O ministro participou de evento, nesta quinta-feira (27), na sede do banco, no centro do Rio, quando foram anunciadas linhas de financiamento para energias renováveis, principalmente eólica e solar, no valor total de R$ 2,2 bilhões, sendo R$ 228 milhões provenientes do Fundo Nacional sobre Mudanças Climáticas.

Participaram do lançamento o presidente Michel Temer, os ministros do Meio Ambiente, Edson Duarte; do Planejamento, Esteves Pedro Colnago; e de Minas e Energia, Moreira Franco; além do governador do Rio, Luiz Fernando Pezão, e do prefeito, Marcelo Crivella.

Em seu discurso, o presidente Temer ressaltou a importância da energia renovável para o país e citou avanços ambientais em seu governo. Ele lembrou também sua passagem pela Assembleia-Geral da ONU, no início da semana.

Pessoas físicas

O presidente do banco explicou que os recursos se dividem em duas linhas, já disponíveis nas agências bancárias. “Uma mais voltada às empresas, com recursos do BNDES. E outra mais voltada às famílias e às microempresas, com recursos do fundo do clima. As linhas estão disponíveis na rede bancária. No caso da linha para empresas, já está operacional em toda a rede bancária. A outra linha, para as pessoas físicas e jurídicas, nos bancos públicos”, disse Dyogo.

A linha de crédito do fundo do clima oferecerá uma redução da taxa de juros e será oferecida a pessoas físicas e empresas. A taxa será de 4% anuais para quem tem renda anual de até R$ 90 mil e de 4,5% para quem tem renda maior. Haverá carência de três a 24 meses, com prazo de amortização de até 12 anos. Os financiamentos serão concretizados via Caixa, por meio de suas 5 mil agências espalhadas pelo país.

Painéis solares

A expectativa do governo é chegar à instalação de 18 mil painéis solares fotovoltaicos, principalmente em pequenas propriedades nas zonas rurais, a um custo entre R$ 15 mil a R$ 25 mil cada, além de projetos de energia eólica.

A linha principal do BNDES, para fontes renováveis, com dotação inicial de R$ 2 bilhões, por meio do Finame, é dirigida especialmente para condomínios, cooperativas, empresas e produtores rurais, com prazo de pagamento em até 120 meses e carência de até 24 meses. A contratação estará disponível online.

Indonésia quer adotar sistema eletrônico de votação brasileiro em 2024

  • set 28, 2018

Com votação ainda feita com cédulas de papel, a Indonésia está interessada em adotar um sistema eletrônico semelhante ao usado nas eleições brasileiras a partir de 2024. Para isso, uma comitiva com oito integrantes do Parlamento indonésio  visitou nesta semana o Tribunal Superior Eleitoral (TSE), em Brasília.

“O voto eletrônico desenvolvido no Brasil tem tudo o que necessitamos na Indonésia. No ano que vem, faremos eleições ainda no modelo de cédulas, mas esperamos que, nas eleições de 2024, possamos implementar sistema parecido com o modelo brasileiro”, afirmou o chefe da missão e vice-presidente da Câmara dos Deputados da Indonésia, Fahri Hamzah. Ele se disse impressionado com o sistema de voto eletrônico brasileiro.

Além de ter assistido a uma demonstração do funcionamento da urna eletrônica, a comitiva pôde fazer votações simuladas.O grupo também assistiu a uma palestra do secretário de Tecnologia da Informação do TSE, Giuseppe Janino, sobre todo o processo eleitoral brasileiro, com destaque para o sistema informatizado usado pela Justiça Eleitoral há mais de 20 anos.

Janino destacou que o Brasil deu início a um dos melhores sistemas eleitorais do mundo, principalmente no que diz respeito à segurança, quando passou a desenvolver o processo de votação eletrônico. Ele ressaltou que testes de segurança feitos antes de cada pleito garantem a lisura das eleições mo Brasil. Janino lembrou que, seis meses antes das eleições, esses sistemas podem ser examinados por integrantes de partidos políticos, da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), do Supremo Tribunal Federal (STF), da Polícia Federal e de universidades.

Dúvidas

A delegação quis saber como os votos são inseridos na urna e as possíveis formas de violação de dados. O secretário de Tecnologia da Informação explicou que o equipamento não tem conexão com a internet, o que livra o sistema da invasão de hackers. “A Nasa [agência norte-americana responsável pela pesquisa e desenvolvimento de tecnologias e programas de exploração espacial] pode ser invadida, o Pentágono [sede do Departamento de Defesa dos Estados Unidos] pode ser invadido, um banco pode ser invadido, mas as urnas eletrônicas, não”, garantiu Janino.

O especialista também destacou a importância do cadastramento biométrico realizado no Brasil, afirmando que este processo também garante a segurança nas eleições, já que impede qualquer duplicidade de voto.

O TSE já recebeu representantes de mais de 70 países, oito já firmaram acordo de cooperação para receberem conhecimento da experiência brasileira.

*Com informações do portal do TSE