ENTRETENIMENTO

Confira tudo sobre entretenimento, seus programas, seriados, filmes e novelas favoritas. Alem de ficar por dentro da vida dos famosos..

Homem oferece mais de R$1 milhão para quem se casar com sua filha

Pai milionário oferece enorme soma para ‘homem diligente’ para casar sua filha de 26 anos de idade

Arnon Rodthong, de 58 anos, é um multi-milionário tailandês em uma missão.Ele administra uma fazenda de frutas durian na província de Chumphon, no sul da Tailândia, e tem uma família numerosa. Mas o rico empresário, não contente com a conquista do mercado de venda de frutas, voltou suas atenções para sua filha solteira: ele está oferecendo 10 milhões de baht tailandeses (aproximadamente US $ 316.000) e todo o seu patrimônio para o futuro marido de seus 26 anos. filha de idade, Karnsita.

Karnsita não é filho único de Rodthong. Ele também tem filhos, que tradicionalmente herdariam os negócios da família. Mas em um movimento polêmico, Rodthong decidiu  que, assim que sua filha casar com um homem bom, “eu vou desistir de todos os meus bens para ele”. Talvez a lealdade de Rodthong esteja com sua filha e sua futura prosperidade enquanto ela o ajuda a administrar a família. negócios, fala fluentemente inglês e chinês, e nunca teve um namorado.

Não é incomum que futuros maridos paguem um dote para suas futuras esposas na Tailândia. Mas, neste caso, o produtor de frutas endinheirado virou a mesa, sugerindo que ele renunciaria ao dote tradicional para o homem certo. E o homem certo pode ser quase qualquer um, parece. Rodthong não especificou uma nacionalidade, apenas que o homem deveria “trabalhar duro e fazer Karnsita feliz”. Rodthong, um budista e um amante confesso de amuletos de ouro, está totalmente preparado para se separar de sua riqueza para ver sua filha casada bem. .

Existem alguns critérios, no entanto. “Eu quero alguém para cuidar do meu negócio e torná-lo passado”, Rodthong compartilhada . “Eu não quero uma pessoa com um diploma de bacharel ou mestrado ou filósofo. Eu quero um homem diligente.

Talvez sem surpresa, desde que publicou sua barganha bizarra na mídia social, as respostas foram inundadas. O que Karnsita faz de tudo isso? Karnsita afirma que ela está sobrecarregada por todo o assunto, em grande parte devido ao fato de que seu pai nunca lhe contou sobre isso: seus amigos notaram o post e informou-se. “Eu descobri pela primeira vez sobre o posto do meu pai quando meus amigos me mostraram”, revelou Karnsita. Mas, felizmente, ela continuou: “Fiquei surpresa, mas também consigo ver o lado engraçado disso”.

No momento da escrita, Karnsita ainda é solteiro. Mas e o marido dela e seu futuro potencialmente próspero? Bem, Karnsita tem seus próprios planospara o dinheiro de seu pai: ela “gostaria de usá-lo para a cirurgia plástica na Coréia.” A de bom humor de 26 anos de idade compartilha alguns dos valores familiares de seu pai, no entanto. Sobre o tema de seu futuro marido, ela esclareceu : “Eu só quero que ele seja uma pessoa diligente e boa que ama sua família”.

Para toda a família Rodthong, desejamos-lhe boa sorte com o seu empreendimento completamente estranho! Que Karnsita encontre seu homem, e Rodthong, o diligente e durão que sempre sonhou.

Apresentadora da Globo chora ao vivo e o motivo é surpreendente

  • mar 11, 2019

 

A expectativa pela chegada de uma substituta para o comando do Esporte Espetacular, no lugar de Fernanda Gentil era grande, até que Barbara Coelho que brilho durante a Copa do Mundo, teve seu talento reconhecido e ganhou a chance de substituir a colega de emissora no comando da atração.

A nova apresentadora do programa tem se mostrado melhor do que a encomenda e neste ultimo domingo (10) Barbara surpreendeu a todos quando não segurou a emoção e caiu nas lagrimas ao vivo.

O motivo?

O Esporte Espetacular fez uma reportagem especial sobre o Dia Internacional da Mulher, que deu destaque a importância e representatividade da mulher no cenário esportivo e isso emocionou a apresentadora!

Barbara lembrou que tudo aquilo poderia parecer mais do mesmo, mas que não era. A Apresentadora disse que todos os dias as mulheres tem que lidar com a realidade de serem ”atacadas” apenas por serem mulheres. Ela frisou que, as pessoas tem que aprender que lugar de mulher é onde ela quiser.

LEIA MAIS

Em meio a “Briga” com Bolsonaro a Rede Globo é acusada de exibir imagens de incesto em horário nobre

“Eu juro que me segurei ao máximo para não me emocionar, mas é para as pessoas entenderem que a nossa estrada ainda é muito longa, a gente não quer mais do que vocês (homens), a gente não quer estar numa estrada diferente, a gente só quer o mesmo”. Completou a apresentadora

Já aos prantos, ela pediu respeito as mulheres, seja as telespectadoras que estavam em casa assistindo tudo, seja as atletas, as apresentadoras, todas merecem ser admiradas e enaltecidas pelos homens, que tanto dependem delas, mas não dão valor nenhum.

Mariana Ruy Barbosa pede união entre as mulheres após polemica com José Loreto

  • mar 8, 2019

 

A famosa Maria Ruy Barbosa, atriz da TV Globo que recentemente se envolveu em uma polemica com o também ator José Loreto se posicionou através das redes sociais pela união das mulheres.

A Atriz, foi alvo de diversas críticas durante a dramática separação de José Loreto, e Débora Nascimento. Fãs e outros famosos apontaram a atriz de “O Sétimo Guardião” como pivô do fim do relacionamento.

Mariana, que é casada com o empresário Xande Negrão, recebeu apoio da sogra e de outras celebridades como Letícia Spiller, mas tem evitado comentar sobre o assunto.

Neste Dia Internacional da Mulher, a atriz resolveu publicar um texto em seu perfil no Instagram falando sobre a data, a luta, o empoderamento feminino e a empatia entre mulheres.

“Vamos desaprender o que a sociedade ensinou sobre as mulheres. Precisamos juntas desconstruir essa rivalidade que criaram entre nós. Comece por VOCÊ a mudança que quer ver em outra mulher”, escreveu a atriz.

 

Visualizar esta foto no Instagram.

 

Oito de março é o dia da mulher. Mas muitas vezes a gente passa por essas datas sem nem entender direito, até porque tudo hoje em dia acaba indo por um viés comercial e superficial. Esse dia existe para relembrar nossas conquistas sociais, políticas e culturais ao longo dos anos. (Tudo bem que ainda falta muito, mas…) E pra relembrar também o quanto devemos unir nossas forças. Vamos desaprender o que a sociedade ensinou sobre as mulheres. Precisamos juntas desconstruir essa rivalidade que criaram entre nós. Comece por VOCÊ a mudança que quer ver em outra mulher. Hoje em dia, uma das coisas que mais penso antes de dizer algo sobre outra é que quando eu atinjo uma mulher estou automaticamente me atingindo. Não seja uma mulher opressora. Com certeza o falar é mais fácil do que o agir. Colocar em pratica atitudes feministas diante de uma sociedade que TODOS os dias propaga a rivalidade e competitividade entre as mulheres não é fácil. Mas é um esforço diário, e olhar atento pra todas as atitudes que temos. Devemos ter atenção, ninguém sabe a dor que a outra sente, problemas, angústias, cobranças… Antes de acusar, julgar, expor, procure saber, vá atrás da verdade, pois suas atitudes e comentários podem trazer um mal irreversível pra outra mana. Uma das coisas que eu aprendi com o feminismo é não atacar outra mulher, mesmo até que ela faça isso comigo. O que nós precisamos fazer é PARAR DE NOS CULPAR. É acreditar na irmandade e solidariedade entre mulheres. Em uma sociedade que estimula a competição entre nós, a SORORIDADE vai na contramão desse conceito. #juntassomosmaisfortes #8M #feminist

Uma publicação compartilhada por Marina Ruy Barbosa (@marinaruybarbosa) em

Ela afirma que atualmente pensa antes de comentar algo sobre uma mulher. ‘Quando eu atinjo uma mulher estou automaticamente me atingindo”, diz.

“Não seja uma mulher opressora. Com certeza o falar é mais fácil do que o agir. Colocar em pratica atitudes feministas diante de uma sociedade que TODOS os dias propaga a rivalidade e competitividade entre as mulheres não é fácil. Mas é um esforço diário, e olhar atento pra todas as atitudes que temos.”

A atriz diz que devemos ter atenção e que ninguém sabe a dor que outras mulheres sentem, bem como seus problemas, angústias e cobranças.

“Antes de acusar, julgar, expor, procure saber, vá atrás da verdade, pois suas atitudes e comentários podem trazer um mal irreversível pra outra mana. Uma das coisas que eu aprendi com o feminismo é não atacar outra mulher, mesmo que ela faça isso comigo.”

Por fim, Ruy Barbosa fez um apelo para que as mulheres parassem de se culpar e acreditassem na irmandade e solidariedade entre elas, mesmo dentro de uma sociedade “que estimula a competição entre nós”.

Com informações FOLHA PRESS

LEIA TAMBÉM

 

Debora Nascimento teria feito uma lista de exigências para reatar com José Loreto

Debora Nascimento teria feito uma lista de exigências para reatar com José Loreto

  • mar 7, 2019

Nos últimos dias o assunto que gerou polemica nas redes foi a separação de Débora Nascimento e José Loreto dois atores da TV Globo. O casamento chegou ao fim após fortes suspeitas de que José Loreto traiu a esposa.

Segundo informações da jornalista Fabíola Reipert, da Record TV,  A atriz global Debora Nascimento teria feito uma série de exigências para reatar o casamento com Loreto. Os dois têm uma filha de dez meses, Bella, que estaria sentindo falta do pai.

Ainda de acordo com a jornalista, a atriz teria feito basicamente três exigências. A primeira delas é “nada de mensagem de celular com atriz casada ou não casada”.  Pelo que se percebe Loreto teria trocado mensagens com alguma atriz da Globo e Debora flagrou as conversas.

LEIA MAIS

Vidente Carlinhos faz previsões para Famosos e surpreende

+Luto: Cantor Gospel morre de forma inesperada e deixa fãs abalados

+Alexandre Garcia: “ Filmar criança segurando as partes íntimas de um homem em um museu pode, mas filmar cantando hino não pode”

A segunda exigência da atriz é que ele deve parar com gracinha com as atrizes e amigas nos bastidores das novelas. Loreto costuma ser amigo até demais de colegas de trabalho. Por fim, segundo Fabíola no quadro A Hora da Venenosa, no Balanço Geral SP, Debora ficará de olho no marido. A atriz vai acompanhar de perto o trabalho do rapaz.

Após a separação, Loreto fez uma postagem no Instagram em que pedia desculpa para a ex-esposa, mas não confirmou nem negou que havia traído. Marina Ruy Barbosa, que foi envolvida na separação como suposta pivô, também se explicou nas redes sociais e se defendeu das acusações que vinha sofrendo.

Debora Nascimento não falou diretamente sobre a separação, mas voltou a usar as redes. Ela passou o Carnaval no Uruguai, ao ganhar folga na novela Verão 90, da Globo. A atriz viajou ao lado de uma amiga e das filhas das duas.

LEIA TAMBÉM

Vidente Carlinhos faz previsões para Famosos e surpreende

Vidente Carlinhos faz previsões para Famosos e surpreende

  • mar 7, 2019

Uma das figuras mais famosas do Brasil é o Vidente Carlinhos, ele é conhecido por prever coisas a respeito de pessoas importantes, algumas vezes ele até acertou.

Desta vez o vidente resolveu prevê o futuro de alguns famosos e falou sobre o sucesso na vida pessoal, na carreira e também sobre algumas fases difíceis neste ano.

Carlinhos foi entrevistado  em canal no YouTube e  sua primeira previsão do dia foi para a  modelo, atriz e apresentadora, Adriane Galisteu. O vidente fala nas coisas boas virão para a Adriane, como filmes e até mais um novo programa, porém ainda deverá permanecer nas novelas por um tempo e que será um ano de muitas alegrias.

Outro famoso que recebeu previsões é o cantor sertanejo Daniel, para ele Carlinhos disse que o artista passará por alguns momentos muito difíceis em sua vida com relação a sua saúde. Mas apesar das dificuldades ele fará muito sucesso também.

Já para o cantor Leonardo Carlinhos fala que o ano de 2019 será ainda melhor que o ano de 2018, com muita positividade na música. No entanto o vidente alertou que o cantor terá algumas decepções com pessoas próximas, ele reforça que não serão membros de sua família e o sucesso será sempre o mesmo!

Zezé Di Camargo & Luciano também passarão por fases complicadas, mas também terão momentos de glória e sucesso. Carlinhos surpreende ao dizer que acredita que um dos dois terá carreira solo em 2019. Confira abaixo o vídeo na íntegra com todas as suas previsões.

O vidente não deixa passar em branco nem mesmo o seu entrevistador, ele diz que ele terá muito sucesso em sua vida profissional, inclusive em trabalhos na Globo ou até séries na Netflix.

Luto: Cantor Gospel morre de forma inesperada e deixa fãs abalados

  • mar 7, 2019

Na ultima terça feira (5) morreu de forma inesperada uma das maiores revelações do mundo gospel desta geração. Aos 28 anos Rafael Marques foi vitima de uma repentina parada cardíaca e faleceu.

O Cantos havia sido levado ao hospital após sentir dores abdominais na segunda feira (4). Já no hospital o artista foi submetido a uma serie de exames, quando foi levado as pressas ao centro cirúrgico para remoção do apêndice. O procedimento havia sido um sucesso e o cantor se recuperava no quarto e estava bem aparentemente.

No entanto de acordo com relatado de amigos do cantor, enquanto era transferido, ele acabou sofrendo uma parada cardíaca e não resistiu. Rafael era membro da Igreja Assembléia de Deus, em Araçatuba, interior de São Paulo.

Rafael era considerado um cantor de voz marcante que tinha como grandes referências musicais, como Marina Lima e a banda Voz da Verdade. Um dos artistas mais versáteis de sua geração, ele se identificava mais com o seguimento pentecostal.

A sua morte deixou fãs abalados.

Ao saber que será processado por Bolsonaro José de Abreu entra em pânico e pede habeas corpus preventivo

  • mar 7, 2019

O Ator Global que é comunista e idolatra o PT José de Abreu estava muito a vontade em suas redes sociais, cético de que nada poderia lhe acontecer, ele se auto proclamou presidente do Brasil pelo Twitter  e publicou ofensas a Jair Bolsonaro.

O que ele não esperava era a resposta do presidente da republica dizendo que iria processa-lo. De acordo com  a Folha de S. Paulo, José de Abreu agora quer um habeas corpus preventivo, pois está fora do Brasil e teme que possa ser preso quando chegar aqui nesta sexta-feira, dia 8.

LEIA MAIS

Em tom irônico, José de Abreu critica Guaidó e se autoproclama presidente do Brasil

+Fake news de José de Abreu vai doer no bolso.

+Hospital Albert Einstein entra com ação contra José de Abreu por acusação de ”conspiração” com Bolsonaro

Abreu se autoproclamou presidente do Brasil ironizando a atitude de Juan Guaidó, na Venezuela e logo recebeu o apoio de muitos internautas.

A jornalista Mônica Bergano informou em primeira mão na edição desta quinta-feira (07), na Folha de S. Paulo, que a ironia do ator acabou se tornando um assunto sério e pode acabar na Justiça.

Mulher da a luz a sete crianças em parto normal e passa bem

  • mar 7, 2019

Você ja pensou que louco seria uma gravidez de sete gêmeos de uma só vez? Pois é isto aconteceu com um casal que não queria filhos.  Eles tiveram bebes de uma unica vez e o caso viralizou na internet

Uma mulher deu a luz a sete crianças sendo seis meninas e apenas um menino  e caso chocou a internet,  o casal vive em um vilarejo iraquiano mas sua historia ganhou o mundo.  Eles são os primeiro da região a gerar “septuplets”.  Pelo que se sabe ate o momento os iraquianos não desejavam ter filhos. No entanto apos ter relações sem usar preservativos receberam uma baita surpresa.

Qual a chance disso se repetir? 

A probabilidade de uma gravidez múltipla de gêmeos é uma em 80, uma em 8 mil é trigêmeos e uma em um milhão é em quadrigêmeos. Por outro lado, a probabilidade de ter mais quadrigêmeos é tão baixa que é difícil encontrar estatísticas precisas. Então pode-se imaginar o quão raro é este caso.

LEIA MAIS

Estudo da NASA afirma a possibilidade de haver vida aeróbica em Marte

+Mulher de Boechat se despede do marido e adeus emociona: ‘Era um ateu que praticava o amor”

Seis meninas e um menino 

De acordo com as informações preliminares, dos sete bebes apenas um é menino. Depois de tornar seu caso conhecido em todo o mundo, a família iraquiana tornou-se uma celebridade em seu país como o primeiro caso de septuplets.

Estado de saúde da mãe

A mulher teve um parto normal e, assim, baniu a ideia de necessariamente ter que recorrer à cesárea nesses casos. O hospital relatou que a mãe de 25 anos está em ótimas condições de saúde.

 

 

 

Alexandre Nero faz crítica ao governo Bolsonaro: “Um menino de 15 anos está presidindo o país”

Da coluna de Miguel Barbieri Junior

É sempre um prazer falar com Alexandre Nero, um dos atores mais versáteis de sua geração.

Nero, na TV, é quase sempre o galã, muitas vezes às avessas, como nas novelas Império e A Regra do Jogo. Fora da telinha, o ator se joga em projetos mais ousados, seja no teatro (vide o musical O Grande Sucesso) ou no cinema. Na quinta (7), Nero volta às telas em Albatroz, um filme experimental, complexo e visualmente fascinante, onde ele interpreta um fotógrafo que clicou um terrorista num atentado em Jerusalém e ficou famoso.

A trama, porém, não se resume a isso e vai pelo caminho na neurociência, em roteiro maluco de Bráulio Mantovani, de Cidade de Deus e Tropa de Elite.

Fiz uma entrevista-selfie com Nero, logo após um debate que rolou depois da pré-estreia de Albatroz, na noite de segunda (25), no Cinearte Petrobras. Como o filme não é fácil, quis saber de Nero o que ele achou. “Estou muito feliz com o resultado. Assisti pela segunda vez e parece que vi outro filme”.

Quis também saber novidades futuras. Nero volta à TV na segunda temporada de Filhos de Pátria e, em seguida, parte para o set de filmagem de Meu Último Desejo (título ainda não definitivo), novo filme de Arnaldo Jabor, que retorna aos cinemas nove anos depois de A Suprema Felicidade

E falamos da relação de amor e ódio de Nero pelas redes sociais e do governo Bolsonaro. “A gente está com um governo sem-vergonha. Um menino de 15 anos presidindo o país é pra dar risada, tá pra chorar”. AS INFORMAÇÕES SÃO DA VEJA SP

Rede Globo fechou dezembro com pior audiência desde 2012

A Globo fechou dezembro com 11 pontos de média na faixa das 6h às 5h59. Trata-se do pior índice da emissora (para o mês) desde 2012, quando o ibope apontava 10,7 pontos de média.

De acordo com o site teleguiado , Na comparação com novembro, a Globo cai 9% (de 12,1 para 11 pontos), contra 8% do SBT (de 6,5 para 6 pontos), 17% da Record (de 6,1 para 5,1 pontos), 15% da Band (de 1,6 para 1,3 ponto) e 0% da RedeTV! (ainda com 0,8 ponto).
Em São Paulo, um ponto de audiência representa 71.855 domicílios e 201.661 indivíduos. É o mercado mais importante do país, com 28,9% de influência sobre o Painel Nacional de Televisão.

Djavan, um dos poucos artistas que NÃO quis se “beneficiar” da Lei Rouanet, diz estar esperançoso com Bolsonaro

Recentemente, Djavan resolveu opinar sobre a situação política do país e afirmou estar esperançoso com o governo de Bolsonaro. O cantor inclusive, enviou uma mensagem de otimismo para os fãs.
Em meio a suas afirmações, Djavan foi apoiado pela grande maioria dos brasileiros, e ainda que exista aquela parcela que insiste em torcer para o país dar errado, isso não fez diferença para o cantor.
Em entrevista para a Folha, o cantor, sempre de posições fortes e bem definidas, já explicitou seus pensamentos sobre a Lei Rouanet e demais leis de incentivo.

Disse ele: “Nunca usei e nunca vou usar. Não gosto de fazer show nem pra prefeitura. Quem vai pagar? Se é o povo eu não quero. Rejeitei muito convite. Eu nunca usei porque não preciso e não acho que eu deva usar um dinheiro que pode ser melhor aplicado.”
É nessa maré que o Brasil deve seguir. Se todos os grandes artistas, sejam da música ou das telinhas, tivessem o mesmo sentimento otimista e o mesmo senso crítico de Djavan, o Brasil não teria sido jogado no buraco pelas ineficientes gestões petistas e seus artistas comprados. (informações da folha)

Filme sobre comunista e terrorista Marighella receberá R$ 6 milhões de reais dos pagadores de impostos

O dinheiro dos pagadores de impostos destinado ao filme sobre o comunista Carlos Marighella, autor do livro Minimanual do Guerrilheiro Urbano e fundador do grupo terrorista Ação Libertadora Nacional, já chegam a R$ 6,05 milhões.

Dirigido pelo militante do PSOL e ator Wagner Moura com produção da O2 Filmes, a película sobre o terrorista do PCB já havia obtido R$ 3,55 milhões de reais dos pagadores de impostos, mas receberá mais R$ 2,5 milhões do Fundo Setorial de Cinema (FSA) por meio de uma Chamada Pública anunciada na última quarta-feira (14), totalizando R$ 6,05 milhões do nosso dinheiro gastos na película.

A principal fonte de recursos do FSA é a Condecine (Contribuição para o Desenvolvimento da Indústria Cinematográfica Nacional), inserida nos custos pagos por milhões de brasileiros que utilizam serviços telefônicos e televisão por assinatura.

O filme será baseado no livro Marighella: O Guerrilheiro Que Incendiou O Mundo, escrito por Mário Magalhães, ex-repórter especial do jornal Folha de São Paulo.

Celso Daniel: Livro revela detalhes assustadores sobre o cadáver do PT

Um fantasma ronda o Partido dos Trabalhadores: o fantasma de Celso Daniel. O ex-prefeito de Santo André, um dos homens mais carismáticos do PT, seria um dos primeiros na escala de sucessão de Lula, ombreando Dirceu e Palocci, quando tudo parecia bem e o PT é quem falava em “ética” e “contra a corrupção”. Foi seqüestrado, barbaramente torturado e assassinado assim que tentou rever o modelo de corrupção do partido no ABC paulista onde o PT nasceu.

Celso Daniel, que morreu há 15 anos nesta semana, hoje é usado até mesmo como verbo. Com tantos casos de mortes obscuras envolvendo pessoas que poderiam causar problemas ao PT, hoje podemos dizer que vários foram celsodanielizados. É a fatal gripe de Santo André. Eu celsodanielizo, tu celsodanielizas, ele celsodanieliza. De Toninho do PT, prefeito de Campinas morto um ano antes, cujo luto foi sufocado por ter morrido nas vésperas do atentado do 11 de setembro, até casos recentes, há um sem número de pessoas que atrapalharam o projeto de poder do PT que aparentemente foram celsodanielizadas.

O risco de celsodanielização é tão gritante que quase não há coragem sequer para comentar o caso sem se sentir em uma mira, mormente citando nomes que os brasileiros praticamente sabem que estão envolvidos no caso. Essa coragem, verdadeira virtude da fortaleza, foi assumida por Silvio Navarro, editor da revista Veja, e pelo editor Carlos Andreazza, que lançaram uma das maiores bombas literárias de 2016, o livro Celso Daniel: Política, corrupção e morte no coração do PT (ed. Record).

Fruto de anos de investigação, o livro consegue realizar exatamente a maior dificuldade que uma investigação policial enfrenta: ligar os pontos. Fatos e notícias sobre o caso Celso Daniel pulularam nesta última década e meia, e não pararam até hoje, mas o grande empecilho para o esclarecimento de meandros ainda nebulosos é unir informações tão díspares, variando de uma gangue de ladrões de carros na Favela Pantanal, na divisa entre São Paulo e Diadema, a intrincadas CPIs nas páginas de política, envolvendo nomes que variam de petistas poderosos como ministros, donos de jornais e blogs usados como fonte por jornalistas e um sem número de pessoas cercando o ex-presidente Lula.

O livro de Navarro se torna um acontecimento literário, e não apenas mais um livro de torcida política, não apenas por trazer detalhes inéditos, imagens, transcrições de documentos que são completamente desconhecidas do público: seu livro nem mesmo gasta muitas páginas com as aborrecidas questões político-partidárias já conhecidíssimas do caso, e sim em criar uma narrativa eletrizante sobre o seqüestro do ex-prefeito de Santo André por bandidos e como e por que a polícia nunca conseguiu “fechar” toda a história.

Há uma fórmula manjada nos clássicos da literatura policial, de que um investigador particular decifra o caso, enquanto a polícia está ocupada em produzir documentos. O caso de Celso Daniel é ainda mais escabroso: Silvio Navarro explica justamente o que confunde a polícia, o quanto a história deu torções, o absurdo montante de “meras coincidências” que envolveram o assassinato e, sobretudo, o pós-assassinato, com o PT no poder – e como a polícia, que na maior parte do tempo agiu com exímio profissionalismo, não pôde traduzir para a linguagem forense o que qualquer análise que reúna os pontos pode notar que aconteceu, mas sem poder mostrar “coincidências” em um Boletim de Ocorrência.

Como a linguagem comum é a usada todo dia pelas pessoas, e não a linguagem jurídica-forense, inevitavelmente o povo sabe mais sobre o assassinato de Celso Daniel do que o que pode ser dito tecnicamente. O caso virou o maior tabu para petistas: um caudatário do PT, hoje, só pode é não comentar o assunto de maneira nenhuma, pois não há vivalma (e mortos não contam histórias) que acredite na tese de “crime comum”.

O livro de Silvio Navarro se torna assim um thriller de tirar o fôlego, como só um país de literatura amputada como o Brasil pode oferecer: a realidade, contada pela não-ficção, não é apenas mais estranha do que a ficção e sua busca por verossimilhança, mas se torna urgente pela falta de elucidação do caso e, com raríssimos romancistas, é a única matriz narrativa do país.

Celso Daniel jantou no restaurante Rubayat da alameda Santos com seu amigo Sérgio Gomes da Silva, o Sombra, que também morreu no hospital em setembro último logo após o livro ser lançado. Sombra seria ouvido novamente pela polícia, dado que o STF recusou a tese da defesa, de anular completamente o processo, exigindo que se voltasse à fase de interrogatórios. A conversa envolvia uma mudança na relação da prefeitura com as empresas de ônibus das quais recolhiam dinheiro, e das quais Sombra, sócio de Ronan Maria Pinto, era um dos donos. O prefeito havia sido avisado pela cúpula do PT pouco antes de que Lula faria a então campanha mais cara da história, finalmente com chance real de sucesso à presidência, e Celso Daniel logo seria um poderoso ministro. Era preciso deixar as contas da prefeitura com aparência de honestidade. A mudança de tom de Celso já alertara Sombra semanas antes.

Ambos saíram na Pajero de Sombra, que foi ao volante. Ao passar pela região de Três Tombos, no caminho para Santo André, o Pajero foi perseguido. Tiros foram disparados, mas o carro só parou quando foi bruscamente fechado. Sombra mudaria sua versão da narrativa para a polícia várias vezes a partir deste ponto. Suas marchas teriam falhado em uma subida. O sistema de travamento das portas teria falhado com as batidas sucessivas, mesmo que Sombra, heroicamente, tenha tentado reacioná-lo. A porta do passageiro abriu e Celso Daniel foi levado.

A quantidade de erros, incoerências, falhas, tergiversações e voltas na narrativa para o que aconteceu a seguir atrapalhou tanto a investigação que apenas criminosos comuns foram presos, mas o saldo de mortes que se seguiu é um enigma tão grande que só pode ser provisionalmente ignorado para se continuar acreditando no PT.

Celso Daniel foi levado por uma quadrilha de assaltantes da favela Pantanal. Os relatórios da polícia e os testemunhos dos envolvidos confundem carros, pessoas, locais, roupas, cores, tudo. A perícia acabou por descobrir que nem mesmo o travamento das portas estava falho, ou houve qualquer problema com o câmbio da Pajero. Celso Daniel parecia estar com mais inimigos do que imaginava no momento.

É curioso observar algumas notícias aparentemente banais na época, relidas pelo prisma da distância histórica. Por exemplo, lembrar que os primeiros a falar em “crime político” foram… os petistas. Com o calendário eleitoral próximo, foi José Dirceu o primeiro a criticar que “assassinaram dois prefeitos do PT”, e queria “irresponsável” não explorar politicamente a tragédia. Com a crise de segurança em São Paulo na época, estado controlado pelos tucanos, a Folha também estamparia que o caso piora a crise na segurança do estado. O mundo daria muitas voltas.

A quadrilha da Favela Pantanal é o primeiro centro de investigação de Silvio Navarro, que consegue uma riqueza de detalhes a respeito de seus membros espantosa. Ainda mais espantosa é uma mera coincidência bem bizarra sobre Ronan Maria Pinto, preso na ominosa Operação Carbono 14 da Lava Jato. Hoje dono do Diário do Grande ABC, jornal que antes era o mais robusto investigador do caso, e também acusado de ter cobrado do PT para não incriminar Lula no caso,

Ronan Maria Pinto era responsável por quarenta dos 123 contratos de transporte público de Santo André, dono de dezessete empresas do setor em 2002. Um de seus sócios era Ozias Vaz, o amigo íntimo para a casa de quem Sérgio Sombra fora logo depois que deixou a delegacia, na noite do sequestro de Celso Daniel. Ozias frequentava regularmente um salão de beleza na favela Pantanal, cuja cabeleireira era irmã de Perninha, encarregado da pintura de seus ônibus. Na funilaria de Perninha, um dos funcionários mirins era o menor C. W., acusado mais tarde de roubar a Blazer usada no rapto do prefeito de Santo André.

Explicar por que um riquíssimo empresário do ramo de transportes freqüentaria um salão de beleza em uma favela, com proximidade a quem esteve envolvido no seqüestro do prefeito, que logo se descobriria ter sido encomendado por um “peixe grande”, é uma das coisas que certamente só pode ser explicada pela Teoria da Mera Coincidência.

Outro detalhe curiosíssimo que Silvio Navarro aponta é que o principal mandante da quadrilha da Favela Pantanal, Ivan Monstro, exigiu que todos os pertences de Celso Daniel ficassem sob sua guarda, exceto um envelope pardo grande, com papéis que Celso Daniel carregava (que misteriosamente continuaram em suas mãos mesmo após a perseguição, o tiroteio e a porta aberta). Esse deveria ser queimado imediatamente. Por que um seqüestrador “comum”, que supostamente nem deveria saber quem estava seqüestrando, exigiu tal coisa mal vendo o envelope, é um mistério insondável.

A quantidade de dados que Silvio Navarro consegue explicar, que nem mesmo quem mais leu notícias sobre o caso conhece, surpreende pela pesquisa – e pelos buracos de queijo suíço na narrativa comum do crime. De todos os feitos do livro, juntar as peças do quebra-cabeça (fora ser um livro de puro destilamento de adrenalina) são méritos incríveis. Como por exemplo nunca terem usado os telefones para precificar o resgate do prefeito. Ou suas roupas terem sido misteriosamente trocadas quando encontraram o seu corpo, como sua cueca atestou. A miríade de informações desencontradas que Navarro conta surpreendem até quem imagina não ser capaz de surpresas no PT, mesmo no caso Celso Daniel.

O clima de caçada que se seguiu, colocado em um filme, seria criticado como inverossímil, algo que na vida real nunca aconteceria. A favela foi achada por um bandido atrapalhado ter ligado por alguns segundos o celular de Celso Daniel. Os seqüestradores e assassinos da favela Pantanal escapariam inúmeras vezes da polícia por ações dignas de filme de espionagem, ou de comédia pastelão.

Uma das peças-chaves para elucidar o caso, Dionísio de Aquino Severo, que merece dois capítulos exclusivos, teve um destino de épico de Michael Bay: o homem que provavelmente foi um dos primeiros a serem acionados para capturar o “peixe grande”, armando o seqüestro do prefeito de Santo André, fugiu de helicóptero de um presídio em Guarulhos, para logo ser colocado em outro, diante do então incipiente PCC. O resultado seria extremamente parecido com as notícias recentes sobre o grupo criminoso.

O violentíssimo Dionísio, numa das mais prosaicas e felizes coincidências da vida, pouco tempo antes havia sido visto na prefeitura de Santo André por seu advogado. Vestindo um terno alinhado, avisou que havia abandonado o crime por conseguir um emprego. O advogado, Adão Nery, depois recuaria na declaração, dizendo-se intimidado por um homem ligado ao PT. O emprego, conforme eletrizantes declarações desencontradas para a Justiça, seria como um dos chefes de segurança de Sombra.

As mortes misteriosas que se seguiram foram mais do que uma carnificina. Até o garçom que serviu a s refeições de Sombra e Celso Daniel no Rubayat, que poderia ter ouvido algo revelador, foi assassinado. O PT sempre tratou tudo como um crime comum, mas prefere não ter de comentar o caso nunca, por ninguém comprar a historieta. Há motivos sobejantes: não há tantos “suicídios” e “assassinatos comuns” pela Teoria da Mera Coincidência assim.

O livro de Silvio Navarro sobre Celso Daniel é um achado literário no jornalismo investigativo brasileiro: um estudo com tantos detalhes, e com um tema de tamanha importância nacional que, fosse americano, seria um forte candidato a um Pulitzer.

É uma obra capaz, senão de elucidar o maior quebra-cabeça do noticiário político-criminal do país, mostrar justamente por que a polícia não consegue prender pessoas envolvidas até o pescoço no maior assassinato político do país, mesmo quando as relações promíscuas, para dizer o mínimo, são tão óbvias.

Celso Daniel nas páginas de Ronan Maria PintoÉ curioso notar como Celso Daniel, diga-se, ganhou projeção protestando contra o aumento das tarifas de transporte público na década de 80 – o mesmo tema que geraria a quase revolução de junho de 2013, e o tema que definiu simplesmente todas as eleições para a prefeitura de São Paulo (muito mais do que saúde ou educação) desde os anos 80 até Fernando Haddad. Sua medida, na época, foi enxugar o salário do funcionalismo público e vender à iniciativa privada a companhia municipal de ônibus – o que o PT passaria por décadas a fio chamando de “neoliberalismo”, ou “entreguismo” ou “privataria”, criando toda sorte de movimentos pela estatização completa do transporte.

O modelo que o PT fez para sua “privatização” particular se livrou da péssima gestão estatal, preferindo cobrar propinas de empresários do ramo, que logo veriam a felicidade de oferecer um serviço tão péssimo quanto o Estado, mas tendo todas as licitações vencidas por mero acaso quando pagam propina para o partido no poder. São cortantes as passagens sobre como Ângela Gabrilli, irmã da futura deputada federal tucana Mara Gabrilli, sofreu com a trupe de Celso Daniel e do PT ao prestar serviços no ABC. Com agravantes imediatos: Sombra e o supersecretário Klinger Luiz de Oliveira andavam armados. Sombra era ex-segurança. Mas por que Kingler usava uma arma?

Celso Daniel claramente criou e permitiu um propinoduto “altruísta” em Santo André, quando se tratava de dar dinheiro ao partido e manter o Estado aparentemente atuando no azul – naquilo que seria o primeiro embrião do mensalão e do petrolão, que não foi abortado a tempo. Contudo, alertado por Lula de que precisaria ter um caixa mais limpo, tomou um caminho diverso de outro prefeito petista com o mesmo “dilema” (no caso, com empresas de saneamento básico), Antonio Palocci: ao invés de permitir ainda mais esbórnia para apagar as primeiras, recusou que o dinheiro tomado por propinas fosse usado para fins pessoais, e não apenas para o partido ou as contas públicas.

Lixo, aliás, também houve em Santo André, com a Target Tecnologia e Serviços. A campanha do prefeito, repetindo um script hoje manjado, também seria paga com dinheiro de propinas. Um sindicalista foi assassinado a tiros dentro de sua sala. A polícia concluiu que fora uma briga de sindicalistas.

O impressionante clima de desalento do livro é notado quando se percebe que as pessoas que mais friamente usaram de mortes, seqüestros, ameaças e extorsão para atingir seus objetivos eram sempre incensadas quando tratadas pela imprensa, como pessoas “éticas”, honradas e ilibadas, capazes de trazer progresso à administração pública. Muitos são jornalistas que, quando não são respeitados, são usados como fonte por outros respeitados. Outros são “empresários” com vínculos estatais ou políticos graúdos com poder e dinheiro até hoje.

Sobre os “três mosqueteiros de Santo André” (Sombra, Ronan e Kingler) e seus emissários para lavar dinheiro no exterior, alguns dos parágrafos mais reveladores do livro falam por si:

Em 2006, a cozinheira Zildete Leite dos Reis, que trabalhava em um bufê que servia Arcanjo, e um ex-segurança  afirmaram à CPI dos Bingos que haviam visto os três mosqueteiros de Santo André reunidos com o bicheiro.

O guarda-costas iria além: disse ter presenciado uma reunião na qual Sérgio Sombra pediu apoio para organizar o sequestro de Celso Daniel, que descobrira o “caixa 3” montado para que ele, Ronan e Klinger ficassem com uma parte dos recursos desviados e destinados ao PT – dinheiro que era lavado com a ajuda das conexões de Arcanjo.

Zildete acusava o bicheiro de ter encomendado a morte de seu irmão. O depoimento dela, entretanto, não seria levado a sério porque falou que outros petistas graúdos também teriam se encontrado com Arcanjo, como os ex-ministros Antonio Palocci Filho e José Dirceu, o braço direito de Lula, Paulo Okamotto, o ex-deputado Bispo Rodrigues e até o traficante Fernandinho Beira-Mar. Os senadores consideraram que tudo aquilo fosse ficção.

Hoje, só tais palavras seriam o sobejante para se rever tudo o que se pensou saber sobre Celso Daniel, e que até agora ainda não se sabe.

A quantidade de informações sobre o caso Celso Daniel, sua narrativa fluída e a atualidade do caso – como Sombra ter morrido pouco depois do livro ir a público – mostra a urgência do trabalho de Silvio Navarro. Um livro que, sozinho, pensando-se nas conseqüências de tudo o que se lê, é capaz de explicar por que o apelo do PT e da esquerda, com sua retórica sobre Estado corrigindo a “desigualdade” com “serviços públicos”, é capaz de apenas aumentar a desigualdade entre a população e os gestores do Estado, não permitindo ao povo escolher onde colocar seu dinheiro tomado por impostos e como todas as notícias sobre o caso acabam sendo abafadas, quando se compra também os jornais.

Sombra foi defendido por um dos advogados mais caros do Brasil, o criminalista Roberto Podval, que também defende Lula. Nunca enfrentou júri popular. Foi solto por decisão monocrática de Nelson Jobim, durante as férias do Judiciário.

E um dos maiores mistérios sobre o caso, tratado como nota de rodapé, é analisado em cruéis detalhes de revirar o estômago: por que o celular do deputado estadual petista Donisete Pereira Braga, até 2016 prefeito de Mauá, foi flagrado nas cercanias do cativeiro de Celso Daniel – e por que, além de tantas ligações pela madrugada em Embu para Sombra, recebeu três cheques do mesmo Sombra. O Tribunal de Justiça arquivou o caso, por considerar as provas insuficientes.

O PT, como mostra Silvio Navarro, conseguiu encerrar o caso dois meses depois do assassinato. É surpreendente, na obra do editor de Veja, como a Justiça é célere quando se trata de livrar petistas, e como petistas ricos freqüentam até favelas e terrenos baldios que servem de cativeiro quando há úteis criminosos por perto, tudo por mera coincidência.

 

Em meio a polêmicas e crise de ibope, Globo tira do ar “Amor e Sexo”

Globo tira do ar “Amor e Sexo”

Após polêmicas e sofrendo derrotas consecutivas em audiência, perdendo até para “A Fazenda”, programa comandado por Fernanda Lima não terá nova temporada.

No ar desde 2009, a atração de Fernanda Lima vem perdendo em audiência para “A Fazenda”, da RecordTV, e enfrentando uma grande queda de público. Há dias em que chega a perder o terceiro lugar para o SBT.

Na média nacional, a audiência da atração despecou quase 70% de 2016 para 2018.

No último dia 13, entre as 23h13 e 0h08, a atração global conquistou 10,7 pontos de audiência. O SBT marcou 11,2 pontos, com a exibição de parte do “Programa do Ratinho” e “Cine Espetacular”. A Record ficou na liderança com “A Fazenda 10”, que ficou isolada em primeiro lugar com 12,9 pontos. Cada ponto equivale a 72 domicílios da Grande São Paulo.

O programa se envolveu em polêmicas, como a mais recente, com o cantor Eduardo Costa, que atacou Fernanda Lima nas redes sociais após um discurso dela no programa contra o machismo e preconceito. A confusão rendeu para ambos os lados.

Trans-idade: Empresário de 69 anos entra na justiça para ter 20 anos a menos

Emile Ratelband é um empresário conhecido na Holanda. Palestrante motivacional, ele dá palestras sobre “positividade”. Agora, ele quer ser reconhecido como um homem 20 anos mais jovem, embora sua certidão de identidade afirme que ele tem 69.

Munido de um exame médico, que comprovaria sua “idade biológica” compatível com alguém de 45 anos, Ratelband entrou com um processo judicial para que sua documentação seja alterada. O objetivo de baixar pelo menos duas décadas na documentação seria “conseguir mais trabalho e atrair mais mulheres”.

“As pessoas transexuais agora podem ter seu gênero alterado em sua certidão de nascimento e, no mesmo espírito, deve haver espaço para uma mudança de idade”, argumenta. Como teve o primeiro pedido negado por um cartório local, resolveu recorrer ao tribunal da província holandesa de Gelderland.

À imprensa ele contou que nasceu em 11 de março de 1949, mas diz que se sente pelo menos 20 anos mais novo. Sendo assim, quer mudar sua data de nascimento para 11 de março de 1969. Ele exibe o “check up” feito recentemente, que serviria como sua maior “testemunha”.

“Quando lembro que tenho 69 anos, sinto-me limitado. Se tenho 49 anos, posso comprar uma casa nova, dirigir um carro diferente. Eu posso pegar mais trabalho. Se uso o Tinder e digo que tenho 69 anos, não recebo uma resposta. Quando tiver 49 anos, com o rosto que tenho, ficará mais fácil”, discursa.

Ratelband diz ainda sofrer “discriminação” por causa de sua idade. Ele reclama que as empresas não querem contratar alguém com a idade de um aposentado. Acredita ainda que a mudança seria uma boa notícia para o governo, já que ele estaria renunciando ao dinheiro que recebe de aposentadoria.

O juiz que recebeu o processo disse entender o pedido de Ratelband, já que agora as pessoas poderiam mudar seu gênero, o que seria impensável antigamente. Contudo, vê problemas práticos em permitir que as pessoas mudassem sua data de nascimento e isso significaria excluir legalmente parte de suas vidas. O veredito deve sair dentro de quatro semanas.

Pabllo disputa com Marquezine e Anitta o título de mulher mais sexy de 2018

Pabllo Vittar a cantora que dança, posa e sensualiza nos shows e nas redes sociais disputa ao lado de muitas famosas o título de ‘Mulher Mais Sexy de 2018’, promovido pela IstoÉ Gente.

A drag queen está na 6ª posição até o momento, à frente de Cleo Pires, Deborah Secco, Sabrina Sato. Paolla Oliveira, Bruna Marquezine, Marina Ruy Barbosa, Anitta e IZA lideram o ranking.

Revista indica Thammy Miranda a prêmio de homem mais sexy do ano

.

Thammy Miranda, filho da cantora Gretchen, foi escolhido como um dos 50 nomes que disputarão o título de homem mais sexy do Brasil pela revista Istoé Gente.

Entre os candidatos, estão nomes Yudi Tamashiro, Evaristo Costa e Neymar. Até o momento, Carlinhos Maia lidera a disputa com cerca de 60 mil votos, seguido por Jonas Sulzbach (23,6 mil) e Caio Castro (17,1 mil).

A votação foi aberta no último dia 1º, e será possível votar no site da revista até o próximo dia 30. O resultado oficial será divulgado em 5 de dezembro.

No momento em que está matéria foi publicada, Thammy aparece na 15ª posição, apenas 700 votos atrás de Cauã Reymond, e à frente de nomes como Reynaldo Gianecchini, e Rodrigo Santoro, Lázaro Ramos e Klebber Toledo.

Na sexta-feira (2), Thammy compartilhou em seu Instagram o resultado de seu mais recente procedimento estético, uma harmonização facial.